Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Vem Aí Uma Vaca (De) Pular?!

Ouvi dizer isto… Não entendi o que seria. Pensei e repensei até que descodifiquei a mensagem: vinha aí uma vaga polar!!! Uma vaga de frio, estão a ver (neste caso é mais sentir)?

 

Até acho uma certa piada ao frio, às 300 camisolas vestidas, 200 casacos enfiados e 500 pares de meias calçados.

Até que não é desagradável um calorzinho proveniente de uma qualquer fonte de calor – excepto do maldito ar condicionado dos meus vizinhos que não me deixa dormirrrrr!!!! -, o estar em casa de papo para o ar sob um belo cobertor a ler um livrinho ou a “papar” todas as porcarias que dão na TV.

 

O pior mesmo é ter de sair à rua, principalmente quando o sol desaparece. Brrrr…! E à noite quando tenho de levar o Pimentinha à rua?! Só de edredão mesmo. Até o pobre do bicho tem um casaquinho para lhe manter o pêlo quentinho. Até parece o super Pimentinha!

E o colégio hoje? Parecia um frigorífico, apesar do aquecimento… Argh! Lá estavam os putos todos encasacados e de gorro na cabeça dentro da sala de aula.

 

Mas do que eu tenho pena mesmo é de não estar a nevar em Lisboa. Estou a pensar em pedir o livro de reclamações ao Instituto de Meteorologia, uma vez que quase todo o país está embelezado por flocos de neve e nós, alfacinhas, nem senti-la! Está mal, muito mal.

 

Bom, vou ali tomar uma banhoca para descongelar para depois me enfiar nos meus belos lençóis polares a ver TV. E um programa fixe para uma noite gelada, não é?

 

 

Um Friozinho...

 

Sou uma pessoa que detesta vestir quilos de roupa. Não sou muito friorenta, acho que é uma questão de genes pois a minha mãe é como eu. E não me venham cá com as teorias das camadas adiposas e blá, blá, blá, porque quando eu era “magra” também não era friorenta.

 

Até vos digo mais – e agora arrepiem-se -, nos Invernos menos frios costumo apenas vestir uma camisola e um casaco. E não, não uso casacos felpudos nem camisolas com 10 centímetros de grossura.

 

Ainda não tinha sentido frio na rua até ontem. Tenho a leve sensação que só desde ontem é que o Inverno invadiu o meu “microcosmos”. De manhã e de tarde até que a coisa foi. Uns cafezinhos para aquecer o corpo e a alma, uns gritinhos intimidatórios aos putos serviram para manter uma temperatura corporal agradável.

 

O pior foi mesmo quando sai do colégio. Após uma dúzia de passos, comecei a debater-me contra o frio. Chego à paragem do bus – sim, sou gaja utilizadora de transportes públicos – e sento-me para ver se me consigo esconder do friozinho. Nada feito! O gajo apoderou-se de mim de tal maneira, que me enregelou os ossos, a musculatura e as camadas adiposas até não me poder mover.

Quando o meu bus chegou, já eu tinha criado estalactites e estalagmites no nariz e pestanas e tinha as sobrancelhas cheias de flocos de neve.

 

Frio sim mas tanto também não. E gelo? Só em forma de neve… mas fixe, fixe era no Natal, não?